Post Top Ad

Escultura - Um tour pelas artes, parte 4

Olá pessoas. Eu sou Willian Vulto e estamos de volta com mais um post da minha série sobre as formas de arte. Semana passada eu falei sobre Pintura (Veja Mais), e essa semana eu vou falar um pouquinho sobre esculturas.

Sobre a Escultura
A Escultura é a forma de arte mais concreta no que diz respeito a seu produto final. Uma estátua é uma estátua. Ela é sólida, concreta, tridimensional e, inegavelmente, real. Mesmo enquanto representação, trata-se de uma representação mais substancial possível com a limitação do material utilizado. A escultura tem peso, tem volume e exerce uma atração particular sobre nós. Você pode até chamar de gravidade se quiser.

Uma coisa legal é que escultura é um grupo muito versátil. É possível fazer escultura com todo o tipo de coisa: vidro, madeira, mármore, pedras, plástico, gelo, alumínio, livros, metal, cerâmica, ossos, papel e mais um monte de coisas. Cada tipo de material vai exigir um tipo de técnica único que vai ser aperfeiçoado por uma classe de artistas diferentes. A escultura pode variar do ultra realismo às loucuras conceituais mais extravagantes, sem mudar o material, por exemplo.

Outra coisa interessante da escultura é que ela existe como arte quando há uma negação de uma utilidade prática no uso do material. Uma pessoa pode unir partes em madeira para construir uma mesa ou uma escultura. Se não há diferença, por que uma mesa não é uma escultura? Me parece que, independente do material, quando se constrói uma peça com uma funcionalidade clara, essa funcionalidade nega a natureza artística da escultura. É claro que pode haver uma mesa de madeira inteiriça com lindos acabamentos e muitos detalhes estéticos, mas ninguém vai chamá-la de escultura.

Seguindo nessa linha, podemos pensar que a escultura é uma arte de negação. Imagine um bloco de mármore, ou qualquer outro material. Esse bloco contém, dentro de si, o potencial de ter infinitas formas. Então, talhá-lo em uma estátua destrói, através da negação, todas as outras peças que existiam ali. Isso significa que esculpir nega, não só o sentido prático, mas também outras esculturas.

Então, em resumo, esculpir é negar, tanto à praticidade dos ofícios tradicionais, quanto todas as outras obras que estão presentes no material.

Esculpir é escolher uma verdade entre muitas que o material te oferece. Escolher a verdade que mais te agrada.

Indicações

Peter Demetz 
Realismo em madeira

Wesley Fleming
Insetos em vidro

John Paul Azzopardi
Escultura com Ossos

Seo Young Deok 
Escultura com correntes de bicicleta

Sui Park
Braçadeiras de Plástico

Hsu Tung Han
Esculturas em madeira simulando arte pixelada

Vídeo mostrando a técnica das esculturas em vidro:

Por hoje é só.
Espero que tenha gostado.
Continuo esse tour pelas artes na semana que vem. 
Até lá

Artigo
Willian Vulto
Um grande conhecedor do mundo das artes, filmes, games, literatura, quadrinhos e muito mais... Willian Vulto dirige o site de arte e entretenimento "Lugar Nenhum", local onde poderá conferir as novidades deste segmento com grande criatividade e exclusividade.

Acesse: lugarnenhum.net

Imagens: Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Post Top Ad

Visite nosso Instagram