Post Top Ad

8 lugares tranquilos para fugir do Carnaval

Se a folia do Momo não é muito a sua praia, conheça esses 8 lugares tranquilos para fugir do Carnaval e curtir o feriado longe das multidões

Blocos? Fantasia? Desfiles? Muvuca? Que nada! Carnaval também é sinônimo de descanso (e belas viagens)!

Os avessos ao confete e à serpentina podem não simpatizar com Rei Momo, mas não têm como não gostar do feriado de Carnaval. Afinal, eis a desculpa perfeita para por o pé na estrada e viajar para um lugar bonito e relaxante para recarregar as energias.


Domingos Martins (Espírito Santo)
Rodeado da bela natureza da Serra do Mar, Domingos Martins é para relaxar por completo! 

A pouco mais de 40km da capital Vitória, Domingos Martins é destaque entre as cidades da Serra Capixaba. A paisagem natural de babar, misturada com um clima que lembra a Europa, é um convite para dias tranquilos e agradáveis.

Dá para relaxar em uma das lindas piscinas naturais da Cascata do Galo; ativar a adrenalina com rapel, rafting ou bóia-cross no Parque Estadual da Pedra Azul, o principal cartão-postal da cidade; ou até passear de trem até as vizinhas Viana, Marechal Floriano e Araguaia, em meio a Serra do Mar.

E não deixe de provar o biscoitinho crispim ou tomar um licor de jenipapo em um dos bares/restaurantes com forte influência dos imigrantes italianos e alemães que passaram pela região.


Serra da Canastra (Minas Gerais)
Qual melhor antídoto para a folia das ruas? Um banho em uma das cachoeiras da Serra da Canastra! 

Para quem quer aproveitar o feriado do Carnaval para ter um contato intenso com a natureza, o Parque Nacional da Serra da Canastra é um paraíso.

Longe da agitação da cidade grande, a dica é optar por uma pousadinha em São Roque de Minas, que fica próximo da “portaria” principal do parque e da maioria das atrações. Entre elas, a Cachoeira Casca D’Anta, a mais alta queda d’água do rio São Francisco, com 186 metros de altura.

Além dessa e de outras tantas cachoeiras, há uma infinidade de trilhas, caminhadas e passeios pelo parque, incluindo um safari fotográfico para ver de perto os animais locais, com o tamanduá-bandeira e o lobo-guará.


Punta del Diablo, Uruguai
Uma cabaninha à beira-mar é tudo que se quer em um feriado relaxante…

O que seria apenas uma pacata vila de pescadores, no nordeste do Uruguai, virou um dos locais preferidos dos brasileiros que querem fugir da muvuca do Carnaval. O motivo do sucesso de Punta del Diablo? Um clima descontraído e belas paisagens, com direito a muitas praias!

A mais famosa é a Playa de la Viuda, com mar aberto e ótimas ondas para os surfistas. Nada como ficar até tarde na areia para admirar o lindo pôr do sol entre os barquinhos de pesca, como na Playa del Rivero e Playa de los Pescadores.

Claro que a infraestrutura turística por lá nem se compara a outra “punta” uruguaia mais famosa (Punta del Este), mas há simpáticas opções de pousadas, restaurantes, barzinhos (os “boliches”) etc... para garantir o conforto e a diversão.


Ilha do Cardoso (São Paulo) 
O charme rústico e a beleza natural intocada da Ilha do Cardoso

Eis uma opção de programa com ritmo totalmente oposto ao do Carnaval: uma ilha onde não pega celular, não há energia elétrica (apenas geradores) e com acesso razoavelmente difícil. Parece muito esforço? Pois a beleza natural da Ilha do Cardoso compensa qualquer dificuldade.

A 260km da cidade de São Paulo, a ilha é localizada em Cananéia, e quase todo seu território está dentro de um parque estadual protegido. Então dá para imaginar a beleza da paisagem natural: praias, cachoeiras e trilhas intocadas e com um clima quase zen.

Basta escolher uma das piscinas naturais (Laje, Ipanema, Fale Pequeno, Fale Grande) para passar dias preguiçosos em meio à fauna e flora das mais belas do Brasil.


Bonito (Mato Grosso do Sul)
Programa para o domingo de Carnaval: mergulhar num aquário natural em Bonito – nada mau!

Que tal escolher a capital brasileira do ecoturismo para fugir do Carnaval? Bonito, no Mato Grosso do Sul, não poderia fazer mais jus ao seu nome. Trata-se da cidade mais famosa do Parque Nacional da Serra da Boquena, que também inclui Jardim, Bodoquena e Guia Lopes da Laguna.

Aproveitar as paisagens naturais de Bonito será o antídoto perfeito para a folia de Momo. Mas não que precise ficar parado por lá. Ao contrário, há muitas opções de adrenalina e aventura, como praticar snorkel e “flutuação” no Rio de Prata, com suas águas absurdamente cristalinas; ou simplesmente se encantar com a beleza única da Gruta do Lago Azul.

Cachoeiras, cavernas, rios tranquilos ou com correnteza para esportes, trilhas para passear a cavalo e por aí vai…em Bonito tudo é, com o perdão do trocadilho, lindo.


Jalapão (Tocantins)
Quer lugar melhor para esquecer do agito da vida do que as dunas do Jalapão?

Outra opção para literalmente fugir de todo mundo: o Parque Estadual do Jalapão é daqueles paraísos naturais que ainda não são exageradamente popular entre os turistas, e por causa de sua baixíssima densidade habitacional, é comum ficar sem ver ninguém ao redor por dias a fio.

Faltam pessoas, mas sobra uma fauna das mais ricas – tamanduá-bandeiras, capivaras, raposas, onças, araras-azuis etc. – que tomam conta dos 34.000km² de área do parque nacional que faz fronteira com a Bahia, o Piauí e o Maranhão.

A paisagem do Jalapão mistura imensas dunas de areia alaranjada, rios, riachos, cachoeiras e lagoas de água super cristalina, além dos característicos chapadões de até 800 metros de altura que o cercam. Pode não haver estradas asfaltadas, sinal de celular ou luxo nas pousadas, mas a natureza encarrega-se de “compensar” qualquer limitação.


Chapada dos Veadeiros (Goiás)
Hora perfeita para conhecer a Chapada dos Veadeiros, um dos Patrimônios da UNESCO no Brasil!

Considerada Patrimônio Natural pela UNESCO, a Chapada dos Veadeiros reúne algumas das mais belas paisagens do cenário natural brasileiro, com seus cânions, cachoeiras, rios, piscinas naturais e enormes paredões rochosos.

Fica no ponto mais alto do Planalto Central, a 1.700 metros de altitude, numa área total de 65 mil hectares. A vegetação nativa inclui ipês, aroeiras e buritis, e o local é refúgio para animais com risco de extinção, como a onça pintada, o lobo-guará e o cervo do Pantanal.

As opções de passeios e atividades podem ser com ou sem adrenalina – escolha entre subir no Mirante do Jardim de Maitreya para apreciar a paisagem, ou encarar a difícil Trilha dos Saltos e mergulhar sob uma cachoeira de 120 metros de altura.

Se der preguiça, basta escolher um restaurante para provar a gastronomia local – destaque para a Matula, a comida típica dos tropeiros feita com feijão, mandioca e farofa de carne seca.


Mendoza, Argentina
Conhecer um vinhedo, tomar um bom vinho e… relaxar! Bem-vindo a Mendoza, na Argentina

Que tal passar o Carnaval num cenário em meio à montanha mais alta do planeta fora da Ásia? Mendoza, na Argentina, auto-intitulada “Terra do Sol e do Bom Vinho”, reúne atrações tanto para os gourmets quanto para os aventureiros.

A região é o maior centro viticultor da América do Sul, com nada menos que 1.200 vinícolas, várias delas abertas para visitação e, claro, degustações – Ruca Malen, La Azul, Catena Zapata etc.

Outro destaque é o majestoso Cerro Aconcágua, com seus 6.962 metros de altura. Tudo bem que chegar ao seu topo requer coragem e experiência, mas admirá-lo desde o Parque Provincial Aconcágua, já vai valer – e muito – a viagem.







Fonte: Momondo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Post Top Ad

Visite nosso Instagram