Post Top Ad

O Rock "Cabeça"

O ano era 1977 e essa data remete ao momento de consolidação do gênero punk rock. Porém um grupo usou essa mesma data para intitular o seu primeiro disco  conhecido por 77 que propunha uma sonoridade menos agressiva e letras digamos assim mais “cabeça ” sobre as relações interpessoais. E com isso surgiu a estética dos Talking Heads.

Nova York na segunda metade dos anos 70 vivia um momento de efervescência  dentro do novo cenário pós-punk com vários grupos  buscando mais originalidade. Um dos pontos catalisadores desse cenário era uma  pequena casa noturna conhecida por CBGB, no qual os Talking Heads fizeram a sua primeira apresentação importante num show de abertura para os Ramones.

 Show de estreia  da banda na lendária casa de NY

Colegas de uma  Escola de Arte e Design, o vocalista e guitarrista  David Byrne decidiu montar um projeto ao lado do Chris Frantz na bateria e Tina Weymouth no baixo. E a sonoridade que trazia  varias experimentações ganhou o fôlego definitivo com a entrada de Jerry Harrison, na segunda guitarra e teclados.
Talking Heads

O  produtor musical Brian Eno, durante a fase inicial, soube explorar todas as possibilidades  musicais dos integrantes da banda e se tornou uma espécie de quinto elemento na construção da atmosfera dos Talking Heads. Ele auxiliou também David Byrne, fã de soul music, sons eletrônicos  e ritmos africanos, a organizar suas ideias e moldar vários clássicos para o conjunto.
Produtor Brian Eno ajudou a formatar as ideias do grupo

Desde as primeiras apresentações de David Byrne, já chamava atenção o seu estilo da cantar um tanto quanto diferente.  Dizia-se que ele tinha um vocal compulsivo e espasmódico. Foi então que ele incorporou de vez  uma personalidade de alguém tendo um ataque convulsivo em pleno palco, um  exemplo é o show Stop Making Sense, que se transformou em documentário em 84.
Estilo marcante

Durante seus 11 anos de existência e 10 discos lançados, os Talking Heads souberam mesclar músicas experimentais com elementos de funk e batidas africanas com os sucessos radiofônicos. Tudo é claro temperado com a sonoridade New Wave que representava o que existia de mais moderno entre o final dos anos 70 e início dos 80.
Reconhecimento





Por Robson Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Post Top Ad

Visite nosso Instagram